Banner2

Banner1

5 Itens para tirar suas dúvidas sobre Previdência.QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DELA?



01. Por que fazer um plano de previdência privada?

A cada dia que passa, nossa expectativa de vida aumenta. No Brasil, por exemplo, de 1980 para 2009, ela cresceu de 62,5 para 72,8 anoS e a tendência é continuar crescendo. Além de querer descansar e aproveitar a vida, com o passar do tempo, podem surgir alguns custos adicionais. É importante, portanto, que você pense em como obter uma boa renda na sua aposentadoria, além do que será pago pela Previdência Social.

02. Com qual idade devo fazer um plano de previdência privada?

Quanto antes você começar a planejar o seu futuro, maior será a sua tranquilidade. Por exemplo, se você começar a contribuir aos 30 anos de idade, com R$ 300,00 por mês, e supondo que o rendimento médio deste período seja de 8% ao ano (líquido da taxa de administração, ou seja, já descontando essa taxa), terá acumulado aos 65 anos de idade, R$ 646.905,88. Agora, se você começar a contribuir aos 40 anos de idade, sob as mesmas condições, chegará aos 65 anos com R$ 274.451,83.

03. Como escolho meu plano?

Para definir seu plano de previdência privada, você precisa ter em mente três questões básicas: quando você deseja iniciar a aplicação, quando deseja se aposentar e quanto quer receber na aposentadoria. Com isso você chega ao valor das contribuições mensais, ou seja, de quanto precisa desembolsar para atingir o montante desejado para o seu futuro. Aí, é só escolher o tipo de plano que deseja. Você pode fazer uma simulação no nosso site.

04. Como você deseja receber o benefício?

Você poderá optar por receber o benefício em forma de renda vitalícia ou por tempo determinado, dependendo do que estiver disponível no plano. Também poderá optar pelo recebimento do valor acumulado, de uma única vez.

05. Por que um corretor deve intermediar a contratação do seguro ?


Pela legislação brasileira, é obrigatória a participação do corretor na contratação de seguro. A profissão de corretor de seguros, criada pela Lei 4.594, de 29 de dezembro de 1964, exige exame de habilitação e registro na Susep - órgão que regulamenta o setor de seguros. Esse profissional é investido de poderes de representação do segurado junto às seguradoras.

Assim, ele é livre para intermediar apólices com qualquer Seguradora sem que haja vínculo empregatício com essa, prevalecendo a independência/autonomia da responsabilidade. 


Durante a contratação do seguro é de suma importância que o segurado confira os dados informados/transmitidos à seguradora junto com seu corretor, pois possíveis falhas nas informações repassadas à cia. poderão acarretar problemas futuros, como o aumento do valor do prêmio e até mesmo a recusa de um sinistro.

Nenhum comentário:
Write comentários